sábado, 10 de julho de 2010

APARÊNCIAS! Leitura Bíblica: Marcos 6.1-6 Dia 11/07/2010
[Jesus] não pôde fazer ali nenhum milagre (Mc 6.5a).
QUANDO LEIO O TEXTO DE HOJE,PERGUNTO-ME:SE JESUS TIVESSE NASCIDO EM NOSSOS DIAS,SERÁ QUE NÃO TERÍAMOS COM ELES OS MESMOS PRECONCEITOS QUE O POVO DE SUA ÉPOCA? O INCRÍVEL É QUE CONSEGUIMOS ESPANTAR-NOS COM A REAÇÃO DE SEUS CONTERRÂNEOS,MAS NÃO NOS SURPREENDEMOS QUANDO NOSSAS REAÇÕES SÃO SEMELHANTES. PODEMOS ATÉ NEGAR,MAS DAMOS MUITA IMPORTÂNCIA À APARÊNCIA. QUANDO VOCÊ VÊ UMA PESSOA, FAZ SUA PRIMEIRA E MAIS IMEDIATA AVALIAÇÃO; DEPOIS É QUE VAI OUVIR O SUJEITO E CONHECÊ-LO MELHOR, BUSCANDO A CONFIRMAÇÃO DA RÁPIDA ANÁLISE INICIAL.
FIZERAM ISSO COM JESUS. AFINAL, ELE ERA UM CARPINTEIRO POBRE, FILHO DE GENTE SIMPLES, ALGUÉM QUE CRESCEU COMO UM GAROTO NORMAL E TALVEZ TENHA SIDO VISTO CHORANDO QUANDO BATEU O MARTELO NO DEDO EM VEZ DE NO PREGO OU COM ESPINHAS NO ROSTO DURANTE A ADOLESCÊNCIA- COMO ELE PÔDE SE TORNA UM PROFETA CHEIO DE SABEDORIA DO CÉU SENDO ALGUÉM ASSIM TÃO...TÃO...IGUAL A QUALQUER UM?! PARA DEUS, O VALOR DE UMA PESSOA ESTÁ NO QUE ELA É POR INTEIRO E NÃO NO QUE ELA TEM-MUITO MENOS NO QUE APARENTA TER, POIS AS APARÊNCIAS ENGANAM, PARA O BEM OU PARA O MAL. PARA NÓS É O OPOSTO. APARÊNCIAS NOS ENCANTAM OU NOS AFASTAM. JESUS NÃO TINHA NADA, LOGO, NÃO PODERIA SER NADA, MUITO MENOS PROFETA, AINDA MENOS O MESSIAS! O JULGAMENTO APRESSADO, SOMADO AO PRECONCEITO E À INCREDULIDADE IMPEDIU-OS DE SEREM ABENÇOADOS POR CRISTO-MUITO POUCO PÔDE FAZER ALI JUNTO DAQUELES QUE O VIRAM CRESCER! QUE OPORTUNIDADE PERDIDA A DELES! JESUS NÃO ERA ALGUÉM CONVENCIONAL NEM ANDAVA PREOCUPADO COM REPUTAÇÃO, APARÊNCIA OU OUTRAS BANALIDADES DA SUPERFICIALIDADE HUMANA. ELE SE PREOCUPAVA COM O CORAÇÃO E A VIDA DAS PESSOAS. QUE TAL CARACTERÍSTICA POSSA FAZER PARTE DE NÓS TAMBÉM E, PELO EXEMPLO DO MESTRE E AÇÃO DO SEU ESPÍRITO EM NÓS, POSSAMOS TAMBÉM DAR VALOR AO NOSSO PRÓXIMO PELO QUE ELE É, E NÃO APENAS PELO QUE APARENTA SER - OU TER!
JULGAR PELAS APARÊNCIAS É MENTIR PARA SI MESMO - POUCO COISA PODE SER MAIS TOLA.
Postar um comentário