segunda-feira, 25 de março de 2013

Liderança



QUALIFICAÇÕES DO LÍDER



            Contemplando a vida selvagem, verificamos que alguns animais vivem totalmente isolados. Não se associam nem com outros da sua própria espécie, exceto, com a mãe  no primeiro período da vida e com a companheira (o) durante o cio. O ser humano, ao contrário, é gregário. Vive em grupos. Tal associação é necessária a fim de alcançar objetivos que, individualmente, não seriam possíveis. Além disso,  a própria natureza humana sente necessidade do companheirismo e do amor. Depois de haver criado Adão, Deus disse :  Não é bom que o homem esteja só.” Quem insiste em se isolar luta contra o bom senso e torna-se infeliz. Como disse Salomão, “aquele que se separa insurge-se contra a verdadeira sabedoria.” (Pv.18:1).
                         Contudo, viver em grupo tem também seus problemas e cria novas necessidades. O primeiro problema é a direção a ser tomada. Se são muitos os componentes do grupo, muitas são as cabeças e diversas as opiniões. Por isso, são necessários os líderes. Não para fazer a sua própria vontade mas para, basicamente,  interpretar a vontade do grupo e viabilizar sua execução. Esta é uma dura tarefa. Exige sabedoria e bom senso, porque pode ser que o grupo esteja enganado quanto aos seus propósitos. Por isso, o líder precisa ter capacidade e preparação superior a média do grupo, a fim de poder conduzi-lo de modo eficaz. Outra necessidade que surge com o grupo é divisão de tarefas. É preciso identificar habilidades, talentos, atribuir responsabilidades, e é o líder quem orienta esse processo.
                        A liderança é necessária em qualquer empreendimento coletivo. A igreja não é uma exceção. O líder da igreja é , em última instância, o Senhor Jesus. Ele é a cabeça da igreja. (Ef.1:20-23). Entretanto, os homens ainda precisam de líderes visíveis; precisam de modelos humanos e direção humana, uma vez que  nem sempre estão aptos a ouvir a ordem direta de Deus. Por isso, Deus instituiu ministérios na igreja.
                        Os líderes surgem naturalmente no meio dos grupos. Entretanto, tal surgimento não é casual. Está vinculado à presença de diversas características que habilitam o indivíduo a liderar.  Tais predicativos são, inicialmente, naturais : a capacidade de influenciar, de comunicar, de arregimentar, de coordenar, etc.  Estas habilidades podem ser encontradas em qualquer líder de qualquer agrupamento humano. Na igreja, porém, além desses itens, é necessário que o líder apresente talentos espirituais, já que estamos lidando com o mundo espiritual. Como alguém pode ter habilidades espirituais ? Somente pela operação do Espírito Santo. Ele é a nossa fonte de talentos. “Recebereis a virtude do Espírito Santo, que há de vir sobre vós, e sereis minhas testemunhas.” (At.1.8). “O qual nos fez capazes de ser ministros de um novo testamento, não da letra mas do Espírito.” (II Cor. 3.6).  No ministério, além de se trabalhar com a vontade dos componentes do grupo, existe a imperativa prioridade de se fazer a vontade de Deus.

            Portanto, aqueles que se sentem chamados para a liderança cristã devem buscar uma vida cheia do Espírito Santo. Precisam ser imitadores de Cristo para que possam ser imitados pelos seus liderados.


                                                                                              Anísio Renato de Andrade

Postar um comentário